Egito Antigo

Mistérios Antigos

Os antigos habitantes da Terra

Voltar
aos Apócrifos

A Estrada

Um jovem andava por uma estrada, ele só estava de passagem, e observava tudo ao seu redor, encantado. Ele resolveu parar e conhecer como as pessoas viviam. Então ofereceram a ele roupas diferentes das que ele usava, ofereceram também comida, diversão, e um trabalho. Ele se acostumou com o modo de vida, e permaneceu lá.

Certo dia, já velho, ele avista um jovem caminhando pela estrada, e o convida para morar na cidade. O jovem recusa. O velho, admirado, pergunta:
-Para onde você vai, garoto?
-No fim desta estrada há uma árvore cuja altura chega até as nuvens. Quem prova o fruto dela se torna como o Sol.
-Bobagem! Eu caminhei durante meses, tal árvore não existe, e esta estrada não tem fim!
-Como pode dizer isto se você não foi até o final? Você parou aqui e se tornou como os outros, se vestiu como eles, se esquecendo quem você era.

O velho não soube o que dizer. Prosseguiu o jovem a caminhar, e o velho, com inveja, gritou de longe:
-Pois você irá andar até morrer e não encontrará a árvore!

Mas o garoto destemido continuou, ele sabia que a árvore existia pois a tinha visto em um sonho muito real, mais real do que a própria vida. O velho faleceu 2 dias depois, arrependido de não ter perseverado.

E o jovem andou e andou sem nada encontrar, parecia mesmo que a estrada não tinha fim. E ele prosseguiu mesmo assim até que, esgotado, caiu no chão sem vida. Então ele ergueu o rosto, e a árvore estava lá, bem na sua frente, exatamente como ele a tinha visto no sonho, ele provou dela, e se tornou como o Sol.


flammarion.jpg


Retorno ao aeon eterno

Nós viemos de cima deles todos, dos alienígenas e deuses, dos anjos da pobreza e os monstros deles. Muitas pessoas aqui são imortais, mas eles não sabem disso, então eles vivem como se fossem escravos. Eles acreditam que eles são parte do mundo, não sabem que o mundo é curral deles, e seus corpos suas prisões, porque eles estão iludidos. Eles não confiam em sua natureza espiritual, eles confiam na carne que irá perecer, então colocam suas esperanças nesta vida, e não encontram nenhuma verdade.

Mesmo aqueles que possuem certa percepção espiritual não percebem que precisam encontrar a verdade enquanto estão vivos, de outro modo, quando o corpo morre e eles estão nas mãos das autoridades, terão que passar por uma revisão, em seguida um julgamento, e serão jogados em outra carne para servidão.

Há sempre muita dor quando eles descobrem que desperdiçaram suas vidas. Mas cada vida nova é uma chance nova. Quando eles alcançam a palavra doadora-de-vida, eles permanecem com ela até a hora chegar. E fazendo isso, eles passarão pelos portões de todas as autoridades sem medo. E eles se despirão do fardo da escuridão, que é o corpo, e serão batizados três vezes. Eles serão recebidos por aqueles que entregam as vestimentas eternas, a luz perfeita do espírito, porque eles não são estranhos a eles. E eles se dirigirão para o lugar mais alto, já que se tornaram dignos das glórias indescritíveis, pois eles rejeitaram o mundo e os poderes para serem livres da escravidão do esquecimento.

Eles habitarão lá para sempre, com os Grandiosos, os Imortais, na Luz do Pai Eterno. E eles aprenderão da sabedoria imperecível perfeita, e eles viverão e nunca mais morrerão.

Quem tiver ouvidos para ouvir que ouça!


QUE NÃO HAJA DESEJO

Venha, espírito. A Morte sucumbiu, e a enfermidade debandou-se.
Que não haja desejo pela casa da aflição (o corpo),
que está completamente fadada à ruína e a uma morte angustiante.
Você foi despejado da sua residência natal. Você sofreu no inferno.
Aproxime-se com alegria. Não volte a apreciar as formas corpóreas.
Veja, elas retornam através de cada renascimento, e cada agonia, e cada prisão sufocante onde elas queimam e lamentam.
Aproxime-se. Não seja afeiçoado pela beleza perecível, em quaisquer de suas facetas. Ela cai e derrete como neve à luz do sol.
O belo não permanece. Ele murcha e some, como uma rosa quebrada que seca ao sol, sua graça é destruída.
Príncipes e almas mortas deitam-se acorrentados na tumba onde tudo é escuridão.

(Literatura Maniqueísta)

Frases ascéticas atribuídas a Jesus

Esta é uma pequena coleção de ensinamentos tradicionais ascéticos, e histórias atribuídas à Jesus retiradas da literatura Islâmica e o Corão. Os primeiros Cristãos davam grande importância ao ascetismo, e os monges e antigos Essênios frequentemente se retiravam em desertos remotos. Isto indica que a renúncia aos prazeres carnais era vista como uma postura necessária para a Salvação, sendo uma forma das pessoas espirituais se sobressaírem da humanidade mortal.

--Jesus (Que a paz esteja com ele!) disse, "Abençoado é aquele que abandona um desejo momentâneo em troca de uma promessa distante a qual ele não viu."

--Jesus (Que a paz esteja com ele!) disse, "Não tenham o mundo como mestre, pois ele os terá como escravos. Resguardem os seus tesouros com aquele que não irá perdê-los, porque quem possui tesouros neste mundo teme que alguma calamidade lhe sobrevenha, porém, aquele que possui os tesouros de Deus não teme que alguma calamidade lhe acometa."

--Jesus (Que a paz esteja com ele!) disse, "Quem é que constrói uma casa sobre a onda do mar? O mundo é desse jeito, portanto, não o considere como uma morada."

--É relatado que o mundo apareceu para Jesus (Que a paz esteja com ele!) numa revelação, onde ele o viu na forma de uma mulher idosa e desdentada, sobre a qual havia muitos tipos de ornamentos. Então ele perguntou a ela, "Quantos maridos você já teve?" Ela respondeu, "Eu não saberia enumerá-los." Ele disse, "Eles todos morreram e te deixaram, ou eles se divorciaram de ti?" Ela disse, "Nenhum dos dois, eu matei todos." Então Jesus (Que a paz esteja com ele!) disse, "É uma pena para os teus maridos restantes. Como que eles não se alertaram a respeito dos teus maridos anteriores, que você os tem destruído um após o outro, e como ainda não estão em guarda contra ti!"

--Jesus (Que a paz esteja com ele!) disse, "Aquele que busca os prazeres do mundo é como alguém que bebe água do mar; quanto mais ele bebe, mais a sede aumenta, até que isto o mata."

--Jesus (Que a paz esteja com ele!) disse, "Ai daquele que ama o mundo! Pois ele pode morrer, e deixar o mundo e tudo o que há nele. O mundo o engana, entretanto, ele confia e coloca sua fé no mundo, e ele é desencaminhado. Ai daqueles que estão desatentos! Pois aquilo o que eles abominam lhes causará aflição, e o que eles adoram os deixará, e aquilo que os ameaça os alcançará! E ai daquele cujo interesse é o mundo, e cujo trabalho é o pecado! Pois amanhã ele estará coberto de vergonha por sua ofensa!"

--Algumas pessoas perguntaram à Jesus (Que a paz esteja com ele!), "Ensine-nos um ideal de sabedoria pelo qual Deus poderá nos amar." Ele respondeu, "Desprezem o mundo, e Deus irá amá-los."

--Jesus (Que a paz esteja com ele!) disse, "Ó companheiros discípulos, estejam satisfeitos com aquilo o que não tem valor no mundo e com os bens religiosos, assim como as pessoas do mundo ficam satisfeitas com aquilo o que não tem valor religioso e com os bens mundanos."

--Jesus (Que a paz esteja com ele!) disse, "Verdadeiramente eu digo a vocês, assim como um homem enfermo olha a comida e não tem prazer em saboreá-la por conta da severidade da sua dor, aquele que ama o mundo não tem prazer na devoção e não descobre a sua doçura, porquanto seu pensamento é vil pelo amor ao mundo. Realmente eu digo a vocês, se uma besta cavalgável não é dominada e transformada em um animal útil para o serviço, ela se torna intratável e sua natureza deteriora; de forma similar, quando corações não se abrandam pelo pensamento da morte e pela disciplina da devoção, eles se tornam duros e ásperos. Verdadeiramente eu digo a vocês, contanto que um couro não esteja dilacerado ou enrugado ele pode até servir para armazenar o mel; corações, igualmente, contanto que desejos não os tenham dilacerado, nem a ganância os corrompido, ou a comodidade os endurecido, podem ser recipientes para a sabedoria."

--Jesus (Que a paz esteja com ele!) costumava dizer para o mundo, "Afaste-se de mim, porco imundo!"

--Jesus (Que a paz esteja com ele!) disse, "O mundo é uma ponte, atravesse a ponte, não faça sua habitação nela." Algumas pessoas disseram a ele, "Ó Senhor, se ao menos nos ordenar que construamos um templo onde possamos venerar a Deus!" Ele respondeu, "Vão e construam um templo na água." Eles disseram, "Como que uma construção resistirá na água?" Ele respondeu, "E como que a devoção a Deus e o amor pelo mundo podem coexistir?"


#########


Atualizado em 22/01/2012