Egito Antigo

Mistérios Antigos

Os antigos habitantes da Terra

Voltar
aos Apócrifos

A Biblioteca de Nag Hammadi

Carta de Pedro a Felipe


Tradução por: http://misteriosantigos.50webs.com

A carta de Pedro que ele enviou a Felipe

"De Pedro, o apóstolo de Jesus Cristo, para Felipe, nosso irmão querido e nosso companheiro apóstolo, e aos irmãos que estão contigo: saudações!

Agora eu quero que você saiba, nosso irmão, que nós recebemos solicitações do nosso Senhor e Salvador de todo o mundo, que nós devemos nos unir para passar instruções e proclamar a salvação que nos foi prometida pelo nosso Senhor Jesus Cristo. Mas quanto a você, você estava separado de nós, e você não quis que nós nos uníssemos para saber como devemos nos organizar para que possamos contar a boa nova. Portanto, seria agradável da sua parte, nosso irmão, vir segundo as solicitações do nosso Deus Jesus?"

Quando Felipe havia recebido estas palavras, e quando ele as tinha lido, ele foi até Pedro regozijando-se de alegria. Então Pedro juntou os outros também. Eles subiram a montanha chamada "o monte das oliveiras," o lugar onde eles costumavam se reunir com Cristo o abençoado quando ele estava no corpo.

Então, quando os apóstolos haviam se reunido, e haviam se colocado de joelhos, eles rezaram deste modo dizendo, "Pai, Pai, Pai da luz, que possui as integridades, ouça-nos com a mesma satisfação que você teve com tua criança sagrada Jesus Cristo. Porque ele se tornou para nós um iluminador na escuridão. Sim, ouça-nos."

E eles rezaram novamente, dizendo, "Filho de vida, Filho de imortalidade, que é a luz, Filho, Cristo de imortalidade, nosso redentor, dê-nos poder, pois eles querem nos matar!"

Então uma grande luz apareceu, e as montanhas brilharam pela visão daquele que surgiu. E uma voz os chamou dizendo, "Escutem as minhas palavras para que eu possa dizer a vocês. Por que vocês estão me indagando? Eu sou Jesus Cristo, que está com vocês para sempre."

Então os apóstolos responderam e disseram, "Senhor, nós queremos saber a respeito da deficiência dos aeons e o pleroma." E: "De que modo nós estamos detidos nesta habitação?" Ademais: "Como nós viemos parar neste lugar?" E: "De que maneira nós devemos partir?" Além disso: "Como nós possuímos a força da coragem?" E: "Por que os poderes lutam contra nós?"

Então uma voz veio a eles através da luz dizendo, "São vocês as testemunhas de que eu falei todas estas coisas para vocês. Mas devido a sua descrença eu falarei novamente. Em primeiro lugar, a respeito da deficiência dos aeons, é esta a deficiência, quando a desobediência e a tolice da mãe apareceram sem o requerimento da majestade do Pai. Ela queria criar aeons. E quando ela falou, O Arrogante veio. E quando ela deixou para trás uma parte, O Arrogante se apropriou dela, e se tornou uma deficiência. Esta é a deficiência dos aeons. Agora, quando O Arrogante havia se apropriado de uma parte, ele a semeou. E ele estabeleceu poderes sobre ela, e autoridades. E ele a confinou nos aeons que estão mortos. E todos os poderes do universo se alegraram por terem sido gerados. Mas eles não conhecem o Pai preexistente, já que eles são estranhos a ele. Mas para este eles deram poder, e serviram o louvando. E ele, O Arrogante, se orgulhou por conta do louvor dos poderes. Ele se tornou um invejoso, e quis fazer uma imagem no lugar de uma imagem, e uma forma no lugar de uma forma. E ele encarregou os poderes sob sua autoridade a modelarem corpos mortais. E eles vieram através de uma interpretação errônea, pelo semblante que havia penetrado."

"Seguinte, sobre o pleroma: Eu sou aquele que foi enviado para baixo em um corpo por causa da semente que caiu afora. E eu desci no molde mortal deles. Mas eles não me reconheceram; eles estavam achando que eu era um homem mortal. E eu falei com aquele que pertence a mim, e ele me escutou atentamente, do mesmo jeito que vocês também escutaram hoje. E eu dei autoridade a ele, para que ele possa entrar na herança de sua paternidade. E eu o levei [...] eles foram realizados [...] na salvação dele. E já que ele era uma deficiência, por essa razão ele se tornou um pleroma."

"É por isso que vocês estão sendo detidos, porque vocês pertencem a mim. Quando vocês se despirem daquilo que é depravado, então vocês se tornarão iluminadores no meio de homens mortais."

"E é esta a razão pela qual vocês lutarão contra os poderes, porque eles não têm descanso como vocês têm, já que eles não desejam que vocês sejam salvos."

Então os apóstolos veneraram novamente dizendo, "Senhor, diga-nos: De que modo deveremos lutar contra os arcontes, já que os arcontes estão acima de nós?"

Então uma voz os chamou através da aparição dizendo, "Agora vocês lutarão contra eles deste modo, pois os arcontes estão lutando contra o homem interno. E vocês devem lutar contra eles assim: Se reúnam e ensinem no mundo a salvação com uma promessa. E vocês, fortifiquem-se com o poder do meu Pai, e o deixem ciente de sua oração. E ele, o Pai, irá ajudá-los como ele os ajudou me enviando. Não tenham medo, eu estou com vocês eternamente, como eu lhes disse antes quando eu estava no corpo." Então veio um relâmpago e um trovão do céu, e o que apareceu para eles naquele lugar foi levado acima dos céus.

Então os apóstolos agradeceram ao Senhor com cada bênção. E eles retornaram à Jerusalém. E enquanto caminhavam pela estrada eles conversaram uns com os outros a respeito da luz que havia vindo. E um comentário foi feito a respeito do Senhor. Foi dito, "Se ele, nosso Senhor, sofreu, então quanto deveremos sofrer?"

Pedro respondeu dizendo, "Ele sofreu em nosso favor, e é necessário que nós também soframos por causa de nossa pequenez." Então uma voz veio a eles dizendo, "Eu lhes disse várias vezes: É necessário que vocês sofram. É necessário que eles os tragam para as sinagogas e para os governadores, para que vocês sofram. Mas aquele que não sofre e não [...] o Pai [...] para que ele possa [...]."

Explicação sobre este assunto extraída do Apócrifo de Tiago, Codex I da Biblioteca de Nag Hammadi:
"Então você não irá parar de amar a carne e de temer os sofrimentos? Ou você não sabe que você ainda terá de ser abusado e acusado injustamente; e ainda terá de ser trancado numa prisão, e condenado ilegitimamente, e crucificado sem razão, e enterrado como eu, pelo maligno? Você ousa poupar a carne, você quem, para o Espírito, é uma muralha circundante? Se você considerar quanto tempo o mundo existiu antes de ti, e quanto tempo ele existirá depois de ti, você descobrirá que a sua vida é apenas um dia, e seus sofrimentos uma única hora. Pois o bem não irá entrar no mundo. Despreze a morte, portanto, e anseie pela vida! Lembre-se da minha cruz e da minha morte, e você viverá!"

E os apóstolos se alegraram enormemente e subiram até Jerusalém. E eles subiram ao templo, e deram instruções sobre a salvação em nome do Senhor Jesus Cristo. E eles curaram uma multidão.

E Pedro abriu sua boca, ele disse a seus companheiros discípulos, "Quando nosso Senhor Jesus esteve no corpo, ele nos revelou tudo. Pois ele desceu. Meus irmãos, escutem a minha voz." E ele estava preenchido com um espírito sagrado. Ele falou deste modo: "Nosso iluminador, Jesus, desceu e foi crucificado. E ele carregou uma coroa de espinhos. E ele colocou uma vestimenta púrpura. E ele foi crucificado numa árvore, e ele foi enterrado em uma tumba. Ele se ergueu dos mortos. Meus irmãos, Jesus é alheio à esse sofrimento. Mas nós somos os que sofremos através da transgressão da mãe. E por causa disso, ele fez tudo como nós. Pois o Senhor Jesus, o Filho da glória imensurável do Pai, ele é o autor da nossa vida. Meus irmãos, portanto, não obedeçamos a estes indisciplinados, e andemos em [...]."

[...] Então Pedro reuniu os outros também, dizendo, "Ó, Senhor Jesus Cristo, autor do nosso descanso, dê-nos um espírito de compreensão para que também possamos realizar maravilhas."

Então Pedro e os outros apóstolos o viram, e eles foram preenchidos com um espírito sagrado, e cada um realizou curas. E eles partiram para proclamar o Senhor Jesus. E eles se uniram e se saudaram dizendo, "Amém."

Então Jesus apareceu dizendo a eles, "Que a paz esteja com todos vocês e com cada um que acredita no meu nome. E quando vocês partirem, que a felicidade e a graça e o poder estejam com vocês. E não temam; vejam, eu estou com vocês eternamente."

Então os apóstolos se dividiram em quatro palavras para proclamar. E eles caminharam com um poder de Jesus, em paz.


Revisado em 25/04/2009